Barreiras sanitárias do Busca Ativa reforçam o enfrentamento à pandemia no Piauí

O trabalho das barreiras do programa Busca Ativa começou em março de 2020

Por Eduardo Machado, In Foco.
11h30.
Barreira sanitária do Programa Busca Ativa. - Foto: Divulgação/Sesapi.
As barreiras sanitárias fixas, implantadas pela Secretária de Estado da Saúde (Sesapi), vêm ajudando a controlar a disseminação do coronavírus no Piauí. Elas funcionam no Aeroporto Senador Petrônio Portella e no Terminal Rodoviário de Teresina, assim como nas divisas do estado e na Nova Ceasa.

VEJA TAMBÉM:

O trabalho das barreiras do programa Busca Ativa começou em março de 2020, orientando as pessoas quanto ao uso da máscara, uso de álcool em gel e distanciamento social. "Essas pessoas precisam ser orientadas, verificando a temperatura e se tiver algum sintoma a gente indica a unidade de saúde mais próxima. Essa parceria é fundamental do controle para gente conseguir diminuir a transmissão desse vírus", explica a gerente de Atenção Básica da Sesapi, Dília Falcão.
Continua depois da publicidade.
O secretário Florentino Neto esteve no aeroporto de Teresina e presenciou o trabalho da barreira instalada no Aeroporto Senador Petrônio Portella.

“Desembarquei às 23h e puder ver em loco o excelente trabalho realizado pela equipe instalada no aeroporto. A fiscalização e orientação dos passageiros que desembarcam no nosso estado, é de suma importância neste enfrentamento ao vírus”, destaca o gestor.

Os passageiros que desembarcam no aeroporto e rodoviária são abordados pela barreira sanitária e é feito uma averiguação da saúde dessa pessoa. Em caso de suspeita de sintomas, ela é encaminhada a um centro médico especializado. Nas divisas e Ceasa do estado é feito o mesmo trabalho.

“Na Nova Ceasa, a barreira inicia às 3h da madrugada, com o objetivo de interceptar os caminhoneiros que chegam de outros estados para abastecerem o comércio de alimentos da região”, lembra a gerente.

Comentários