Campo Maior, Teresina e Luís Correia concentram mais de 60% de ações judiciais sobre racismo

A análise foi divulgada na semana do Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, dia da morte do líder revolucionário Zumbi dos Palmares

EDUARDO MACHADO
PARNAÍBA-PIAUÍ
18h46.

Campo Maior, Teresina e Luís Correia concentram ações sobre racismo.
Foto: Reprodução.
Dados do Tribunal de Justiça do estado do Piauí (TJ-PI) apontam que mais de 60% das ações judiciais que versam sobre racismo, injúria racial, preconceito de raça ou de cor e intolerância racial concentram-se nas comarcas de Campo Maior (28,6%), Teresina (21,4%) e Luís Correia (14,3%).
Campo Maior, Teresina e Luís Correia concentram ações sobre racismo.
Foto: Divulgação/TJ-PI.
A análise foi divulgada na semana do Dia Nacional da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, dia da morte do líder revolucionário Zumbi dos Palmares.
Campo Maior, Teresina e Luís Correia concentram ações sobre racismo.
Foto: Divulgação/TJ-PI.
De acordo com os dados levantados pela Seção de Análise Estatística do TJ-PI, o recorte temporal de 2018 a 2022 demonstra que, durante o período crítico da crise sanitária proporcionada pela Covid-19, os processos com esses assuntos reduziram e que, após redução do distanciamento social, houve uma elevação progressiva do número de demandas que ingressaram no Poder Judiciário Piauiense.

“Estamos, ao longo de todos esses anos, desenvolvendo um Judiciário mais engajado com a garantia dos princípios e direitos básicos, para todos. Buscamos promover ferramentas de pesquisas judiciais e acerca do contato do Judiciário com a sociedade, a fim de garantir novos índices e dados, e com eles, desenvolvermos melhores estratégias de combate às problemáticas sociais que afligem a população piauiense e toda a nossa nação”, afirma o presidente do Tribunal de Justiça do estado do Piauí, desembargador José Ribamar Oliveira.

Comentários