Wellington Dias delibera medidas restritivas por dez dias no Piauí

A restrição inicia nesta sexta-feira (26)

Por Eduardo Machado, In Foco.
21h41.

Wellington Dias, governador do Piauí. - Foto: divulgação/Governo do Piauí.
O governador Wellington Dias conduziu, na tarde desta quinta-feira (25), reunião do Comitê de Operações Emergenciais (COE) Ampliado, que deliberou por novas medidas de isolamento social e combate ao novo coronavírus, a serem seguidas até o domingo de Páscoa (4). A intenção é construir, junto com as prefeituras, um plano de restrição para os próximos dez dias, alternando feriados, pontos facultativos e finais de semana, permitindo apenas o funcionamento de atividades consideradas essenciais.

A restrição inicia nesta sexta-feira (26), com o feriado antecipado do dia de Nossa Senhora Aparecida, quando vigoram as restrições já praticadas nos fins de semana. Na segunda-feira (29), o governo decretou ponto facultativo. Na terça-feira (30), será feriado antecipado de Corpus Christi. Quarta-feira (31), foi proposto às prefeituras que antecipem seus feriados de aniversário de emancipação política. Na quinta-feira (1º), o governo decretou novamente ponto-facultativo. Na sexta-feira (2), será feriado em função da Semana Santa, seguindo com as restrições até domingo (4).
Continua depois da publicidade.
“A maioria dos municípios vai antecipar os feriados. Alguns editarão decretos ainda mais rígidos, prevendo até fechamento de bares”, afirmou Paulo César, presidente da Associação Piauiense de Municípios (APPM).

O governo deve restringir o transporte intermunicipal de passageiros e a venda de bebidas alcoólicas durante o período de maior isolamento social. Uma das preocupações é reduzir os acidentes automobilísticos e a consequente ocupação de leitos hospitalares que eles ocasionam. Outra intenção é minimizar o fluxo do vírus da capital para as comunidades do interior, através da migração de pessoas.

As cidades litorâneas estão sendo orientadas a restringir o acesso às praias.

“É um recolhimento para que possamos verdadeiramente combater este vírus, com sacrifícios de todas as partes. Reiteramos nosso apoio, mesmo diante do descontentamento, sabendo que é algo necessário” ponderou Sávio Normando, presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas.

Comentários